Análise de riscos para condomínios

Written by

Condomínios e a importância da análise de riscos para uma segurança efetiva

Análise de Risco, Cultura de Segurança| Views: 45

Garantir a segurança de um condomínio vai muito além da instalação de equipamentos, câmeras e sistema de controle de acesso.

Todo projeto de segurança de qualidade deve ser precedido de uma análise de riscos específica para aquele condomínio, caso contrário, todas as ações serão paliativas e ineficazes.

Mas o que torna essa análise boa ou ruim? Quais são os pilares, normas e melhores práticas para sua elaboração? Quais indivíduos devem estar envolvidos no processo?

É importante estar ciente de que a real proteção tem início na prevenção, pois o objetivo é garantir que todas as pessoas, dispositivos e equipamentos usados para segurança efetiva dos condomínios, diminua e evite verdadeiramente os riscos de futuros furtos e/ou outros delitos mais graves.

“A consultoria de segurança deve ser contratada para promover análise preventiva do condomínio, portanto, deve-se ter o trabalho antes que ocorra algum sinistro.  O que temos observado é que as administradoras ou os gestores dos condomínios tem solicitado serviços de consultoria de segurança após terem alguma dificuldade como invasões ou assaltos”, alerta José Elias de Godoy, especialista de Segurança em Condomínios e autor de diversos livros sobre o assunto. 

É fundamental, então, que um projeto de segurança seja realizado de forma preventiva e não reativa.

Para alcançar a tão almejada segurança e tranquilidade, é necessário enfatizar a relevância da análise de riscos, a fim de garantir que a aliança entre homem e sistemas de segurança seja adequada com a realidade de cada condomínio e efetive sua proteção.

O que é preciso ser avaliado para obter uma análise de riscos eficiente?

A análise de riscos para obter real segurança de um condomínio deve se desenvolver com base em 3 aspectos, conhecidos como triângulo de segurança. Observe:

  • Analisar a segurança física das instalações
  • Investir e treinar os colaboradores
  • Conscientizar os moradores

Sobre o assunto, Leandro Santos, diretor da Equalipro Consultoria, descreve as etapas essenciais para o conjunto da análise e entrega do trabalho:

  1. mapeamento estatístico dos índices de criminalidade na região, a fim de levantar as ameaças às quais este condomínio está sujeito
  2. entender as expectativas do condomínio e ajustá-las caso necessário
  3. gerar o trajeto local, interno e externo, observando campos de visão e passagens de infraestrutura, sempre em paralelo à planta baixa do condomínio
  4. caso o condomínio já possua sistemas de segurança, será necessário avaliar os dispositivos e suas respostas, observando a necessidade de melhorias e/ou complementos
  5. gerar tentativa de acesso sem que haja o registro e/ou bloqueio por meio do controlador de acesso
  6. entrevistar colaboradores internos, medindo sua visão em segurança com melhorias de processos
  7. analisar o protocolo de acesso ao condomínio, tanto entrada de pedestres quanto veículos

Portanto, podemos afirmar que uma análise de risco de baixa qualidade é toda aquela que não contempla todos os pontos citados acima. Projetos desenvolvidos por observações infundadas ou percepção pessoal sem critério, trazem consigo a elevação da margem de erro e, consequentemente, a falha no resultado das pessoas e equipamentos. 

“Muitas vezes o especialista vai até o condomínio com uma fórmula pronta, com soluções de processos e tecnologia muito padronizados e, por vezes, todo o sistema atende parte dos riscos, ou até mesmo extrapola a necessidade do condomínio”, ressalta Claudio Procida, especialista em gestão de projetos.

Por isso, é fundamental contar com a expertise do consultor de segurança para realização da análise de riscos, seja ela feita durante a construção do condomínio, logo na entrega pela construtora ou em um condomínio já constituído e com uma maior vivência.

Ferramentas e tecnologias para condomínios

Para gerenciar os riscos e administrar remotamente o condomínio, tecnologias são nossas aliadas. Além dos sistemas de controle de acesso e monitoramento, a integração entre sistemas e pessoas é fundamental. Soluções como a plataforma digital para gerenciamento de crise CoSafe permite integrar todos os protocolos de segurança do condomínio em um aplicativo e criar um fluxo de comunicação precisa e centralizada no momento de gestão de uma crise.

O aplicativo evita que a crise aumente, salva vidas e diminui os custos do condomínios ao otimizar a processo de gerenciamento de crises.

Conheça também no blog outras ferramentas tecnológicas que podem ajudar a administrar os condomínios com segurança e eficiência de forma remota. 

Deixe uma resposta