Ambiente EAD seguro para escolas

Written by

Estratégias para construção de ambientes EAD seguros para continuidade dos negócios

Em meio a pandemia de Covid-19, instituições de ensino anteciparam o recesso para proteger a comunidade escolar e servidores, visando reduzir a proliferação do novo coronavírus. Desde o início da crise, milhões de alunos em todo o mundo tiveram suas aulas suspensas e estão em casa. 

O cenário ainda é imprevisível. Não se sabe quais serão os reais impactos da doença no sistema de saúde e econômico, ou ainda quando as atividades presenciais poderão retornar à normalidade. Por isso, escolas e universidades precisaram se adaptar para oferecer o ensino a distância (EAD) em ambientes seguros e permitir a continuidade das atividades.  

Um exemplo disso é o Centro Paulo Souza (CPS), órgão responsável pelas Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) do Estado de São Paulo, que desenvolveu um projeto o qual permitirá o retorno às aulas de maneira remota. 

Volta às aulas com EAD para alunos das Etecs e Fatecs

Para encerrar o período de recesso antecipado devido ao novo Coronavírus, alunos das Etecs e Fatecs estão de volta às aulas remotamente desde a última segunda-feira (04/05), em um projeto inovador para educação a distância na rede pública de ensino. 

Embora esse movimento já tenha sido iniciado por outras escolas e universidades, especialmente as particulares, só agora ele começa a ser realidade na rede pública.

No Centro Paula Souza, a ferramenta de aprendizagem virtual adotada é a Microsoft Teams. Desde o mês de abril, 20 mil professores e mais de 300 mil alunos passaram por treinamento para usar a plataforma de colaboração e comunicação.

“O Centro Paula Souza já tinha contrato, suporte e licenciamento da ferramenta Microsoft Teams para uso dos servidores administrativos, professores e alunos e essa parceria permitiu a implementação do ensino online num curto período de tempo. A ferramenta Teams é apropriada para atender a maioria das necessidades técnicas e pedagógicas impostas pelo isolamento social”, explica Ruben Pimenta, Diretor de Transformação, Informação e Comunicação (TIC) do Centro Paula Souza (CPS). 

O gerenciamento do rendimento destes estudantes será feito com base na entrada em sala de aula, permanência, participação em atividades em tempo real, realização de tarefas solicitadas por meio do Teams, entre outros critérios.

Por meio da ferramenta, as turmas serão divididas entre grupos e as disciplinas por pastas, o que permite o compartilhamento de arquivos de forma organizada para os alunos. Além disso, eles terão acesso a videoaulas, poderão se comunicar uns com os outros e trocar documentos via chat. Ainda, alunos e professores poderão editar arquivos online, o que facilita a realização e correção de atividades.

Como construir ambientes EAD seguros? 

Um pilar fundamental para construir um projeto EAD eficiente é a cibersegurança, que exige atenção especial, pois as ferramentas e os ambientes de trabalho evoluíram para ambientes híbridos e sem limites conhecidos. A preocupação é constante e o projeto de cibersegurança tem que evoluir continuamente porque os crimes cibernéticos se modificam com uma periodicidade muito curta, oferecendo riscos maiores e diferentes com o passar do tempo.

“Workspaces remotos e ambientes físicos, mobilidade e outros tipos de modalidades são, cada vez mais, essenciais para os usuários. Essa mudança de processos, ferramentas e investimentos acarretou sistemas mais complexos que demandam mais segurança aos usuários. A escolha de plataformas, ferramentas e parceiros sempre foi um trabalho desenvolvido pelo Centro Paula Souza, desde que implementamos as plataformas de nuvem. Isso contribuiu para que, nesse momento, já tivéssemos uma maturidade que nos permitiu ainda viabilizar o ambiente de aulas remotas”, esclarece Pimenta. 

4 critérios básicos de segurança em TI 

Para construir ambientes EAD seguros na sua instituição de ensino, Pimenta ainda destaca os critérios básicos de segurança em TI:

  1. Garantir que a UX (user Experience / experiência do usuário) siga rigorosamente a política de segurança de dados
  2. Análise dos ambientes de workspaces, pois os “perímetros atuais”, com a mobilidade, não são mais conhecidos e controlados. As soluções em nuvem praticamente são as mais aplicadas
  3. Processos e ferramentas de fornecedores com experiência global pois os “ataques” podem ser executados de qualquer parte do mundo
  4. É fundamental que a equipe de TI, em parceria com as áreas pedagógicas e educacionais, entenda quais são e serão as demandas para que os cursos tenham total aderência às necessidades do mercado e garantam segurança aos usuários, sejam professores ou alunos

    Eu falo um pouco sobre Controle de Acesso Virtual aqui: (https://blogdaseguranca.com.br/analise-de-risco/biometria-e-a-unificacao-dos-controles-de-acesso-fisico-e-virtual-na-educacao/)

E quando as aulas voltarem ao normal? 

A transformação digital exige a integração entre on e off de uma maneira mais profunda. E com certeza a crise do novo Coronavírus forçou a todos, em diferentes níveis, a se adaptarem e inovarem rumo ao digital, impulsionando a transformação digital na educação. Esse formato é um caminho “sem volta” e contará com três fatores essenciais: aderência, disponibilidade e segurança.

No contexto do Centro Paula Souza, Pimenta afirma que “a utilização da plataforma Microsoft Teams permitirá uma série de ações como a implementação de uma base de conhecimento, sustentada por documentos, tutoriais e vídeos que ficarão disponíveis para consulta. A ferramenta poderá  ainda centralizar dados com indicadores de gestão técnica e pedagógica que auxiliarão a acompanhar a UX, permitindo análises e correções nos ambientes e contribuindo para o amadurecimento no formato de ensino que será uma evolução natural na educação”. 

Continue lendo sobre tecnologias e a construção de ambientes EAD seguros.

Acesse aqui e confira como a biometria e a unificação dos controles de acesso físico e virtual podem ser ainda mais vantajosos durante a pandemia de Covid-19.

Pupo Neto

CEO of CoApps Brasil - More than 20 years of experience in various markets - automotive, cosmetics, education, technology and others - in multinational companies, large national groups and startups - O Boticário, Nissan, UOL, OpenEnglish and OLX.

Participation in the creation of 3 startups in early-stage until the complete operation (OpenEnglish and Canal da Peça)
Large cases of communication in multinationals (O Boticário, Nissan, UOL, OLX, etc).

Deixe uma resposta